Acerca de mim

07 janeiro, 2012

sangue azul

Quando preciso da tua calma pouso a mão no lado esquerdo do teu peito, sinto as tuas batidas, bebo o sangue azul de princesa que escorrega pelas tuas entranhas e oiço a voz que tanto morre na minha mente. Curiosamente, o teu coração vive junto do meu, o teu sangue dança dentro das minhas veias e a tua voz mora nos meu ouvidos.
Por isso, quando as saudades nos tentam sufocar, agarro com força no meu peito como forma de te acalmar, suplico que pintes de novo o meu coração de azul e que arrepies a minha pele com o teu canto... para sobreviver a mais uma noite, para ver o sol nascer e sentir que sou capaz de respirar, mais um dia, a tua ausência.

1 comentário:

  1. espero que essa ausência que tens seja por pouco tempo, ninguém gosta por vezes de sentir saudade... gostamos mesmo é que os nossos estejam connosco :)

    ResponderEliminar

Seguidores